Informe Epidemiológico da Febre Amarela (21/02)

Minas Gerais confirma 83 mortes por febre amarela.

Em boletim epidemiológico divulgado hoje terça-feira 21 de fevereiro, a Secretaria de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)
anunciou que 83 pessoas já morreram em decorrência da febre amarela e mais 173 mortes ainda estão sendo investigadas.

Até o momento (21/02), foram notificados 1.027 casos de Febre Amarela, sendo que desses 57 foram descartados e outros 234 são casos confirmados.

O Informe traz atualização, ainda, das ações assistenciais de enfrentamento à Febre Amarela aos municípios das quatro regiões prioritárias para a doença – Teófilo Otoni, Governador Valadares, Coronel Fabriciano e Manhumirim, como a contratação de leitos extras, apoio nas ações de vacinação, disponibilização de medicamentos, entre outras ações.

Clique no link a seguir e confira, na íntegra, o informe (arquivo em pdf):
Atualização sobre a investigação de casos suspeitos de febre amarela silvestre – Minas Gerais – 21-02-17

Publicado em 21 de fevereiro de 2017

Prefeitura de Juiz de Fora veta partida entre Vasco x Flamengo

Nesta manhã, a prefeitura da cidade emitiu um comunicado oficial afirmando que em virtude da intensa programação de blocos de carnaval na cidade e em toda a região o local não poderá receber a partida do clássico carioca.

A prefeitura de Juiz de Fora e o Comando da 4ª Região da Polícia Militar apresentam argumentos que não há como garantir a segurança da partida, já que há uma partida marcada para o fim de semana, pelo Mineiro: Tupi X URT.

NOTA DE ESCLARECIMENTO:

Em virtude da intensa programação de blocos de carnaval na cidade – como a tradicional Banda Daki – e em toda a região, o Estádio Municipal Radialista Mário Helênio estará restrito ao jogo da Federação Mineira de Futebol, Tupi X URT, no próximo fim de semana, como forma de garantir o esquema de segurança da 4a Região da Polícia Militar aos torcedores do município e aos foliões de 86 cidades da Zona da Mata em todo o carnaval. Não está autorizado, então, qualquer outro evento no estádio neste período.

Prefeitura de Juiz de Fora
Comando da 4a Região da Polícia Militar

Bicas News – Publicado em: 21 fev, 2017 às 11:49


Flamengo e Vasco decidirão vaga para final da Taça Guanabara aqui em Juiz de Fora

Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG).
A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro informa que o clássico Flamengo e Vasco, válido pelas semifinais da Taça Guanabara, será disputado no próximo sábado (25/02), às 18h30, no Estádio Radialista Mário Helênio, em Juiz de Fora (MG).

Publicado em 21 de fevereiro de 2017

Horário de Verão termina no próximo domingo, quando relógios serão atrasados uma hora

Energia economizada no horário de pico, em todo o estado, abasteceria Belo Horizonte durante 9 dias.

O Horário de Verão termina neste domingo (19/2), a partir da 0 hora, quando os relógios das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste serão atrasados em uma hora. A Cemig registrou redução no consumo de energia de 0,5% no Estado, o que significa que 108.000 megawatts-hora foram poupados. Essa energia seria suficiente para abastecerBelo Horizonte, com 1,5 milhão de habitantes, durante nove dias.

Durante os 126 dias de vigência da medida, a Cemig registrou ainda uma redução diária de 4% na demanda máxima de energia, ou 350 MW (megawatts). Em termos de comparação, isso representa a geração de cinco das seis turbinas da Usina Hidrelétrica Três Marias. Essa redução é suficiente para atender, durante todo o período do Horário de Verão, o pico de carga de uma cidade de 750 mil habitantes, equivalente à soma das cidades de Juiz de Fora e Sete Lagoas.

Segundo o engenheiro de planejamento energético Wilson Fernandes Lage, da Cemig, o objetivo do horário diferenciado é que a população aproveite a iluminação natural mais longa – característica da estação – e reduza a demanda energética no horário de pico, das 18 às 21 horas. “A redução da demanda máxima no sistema é o maior benefício do Horário de Verão, porque alivia o carregamento nas linhas de transmissão, transformadores, sistemas de distribuição e unidades geradoras de energia, aumentando a confiabilidade e a segurança da operação do sistema elétrico, reduzindo o risco de ocorrência de desligamentos no Sistema Interligado Nacional”, explica Wilson Lage.

“Para os consumidores residenciais e comerciais, a economia é percebida na menor utilização da iluminação artificial. Se não houvesse o Horário de Verão, os consumidores poderiam ter um consumo de até 30 horas a mais por mês com a iluminação artificial”, completa.

Brasil

Segundo o Ministério das Minas e Energia, a medida possibilitou uma redução média de 4,5% na demanda por energia no horário de pico e de 0,5% no consumo, nos estados que participam do Horário de Verão, o que equivale aproximadamente ao consumo mensal de energia de Brasília, com 2,8 milhões de habitantes. Além disso, a estimativa de ganhos com o Horário de Verão é de R$ 147,5 milhões, que representam o custo evitado em despacho de usinas térmicas, para atendimento à ponta de carga no período de vigência.

com informações da CEMIG
Publicado em 17 de fevereiro de 2017

Polícia Civil desmente boatos sobre suposto autor de tentativa de estupro em Muriaé

A Polícia Civil em Muriaé, por meio da Delegacia Especializada de Atendimento a Mulheres e Menores – DEAM, tem realizado incessante trabalho na obtenção de provas de autoria e materialidade dos fatos para responsabilização do verdadeiro autor de uma tentativa de estupro no bairro da Gávea em Muriaé, cujo crime ocorreu na última sexta-feira (10).

Devido às falsas informações que estão circulando pelos grupos do WhatsApp, a Polícia Civil esclarece que a imagem que circula não condiz com a do verdadeiro suspeito, segundo reconhecimento feito pela própria vítima, uma senhora de 53 anos.

A Polícia Civil reitera que não divulgou qualquer informação a respeito e alerta para o risco do compartilhamento de informações falsas. O homem que está tendo seu rosto divulgado indevidamente é conhecido no meio policial pela prática de furtos. Ressalta, ainda, que não há motivo para alarme da população, pois não há reincidência de crimes da mesma natureza, no local ou em qualquer outro ponto da cidade. O que ocorreu foi um fato isolado.

A Polícia Civil espera dar resposta, em breve, à sociedade por esse crime.

Com informações da Assessoria de Comunicação – PCMG
Publicado em 16 de fevereiro de 2017

Força Nacional ficará no RJ e no ES até início de março


Rio de Janeiro – Forças armadas atuam no patrulhamento nas praias da zona sul da capital fluminense. (Tomaz Silva/Agência Brasil)

O Ministério da Justiça e Segurança Pública autorizou hoje (15) o uso da Força Nacional em ações de segurança pública no Rio de Janeiro e no Espírito Santo. As portarias foram publicadas no Diário Oficial da União.

No Rio, os agentes vão atuar na segurança da Assembleia Legislativa (Alerj) e do Palácio Guanabara, sede do governo, até o dia 2 de março, “em prol da preservação da ordem pública”.

Os agentes da Força Nacional estão no Rio de Janeiro desde o início de dezembro para reforçar a segurança nos dois locais e evitar confrontos em protestos durante votações na Alerj do pacote de ajuste fiscal proposto pelo governo estadual.

O governo federal também autorizou a permanência das Forças Armadas na região metropolitana do Rio de Janeiro. Serão 9 mil homens em missões definidas com o objetivo de liberar efetivo da Polícia Militar (PM), conforme anunciou ontem (14) o ministro da Defesa, Raul Jungmann.

“Não existe nenhum descontrole, não existe nenhuma insuficiência de meios e capacidade ou indisponibilidade dos recursos dos órgãos de segurança pública para a manutenção da lei e da ordem [no Rio]. Diferentemente do que se passou e vem se passando em alguma medida no Espírito Santo, não há descontrole, não há desordem”, destacou o ministro.

A atuação das Forças Armadas foi autorizada pelo presidente Michel Temer em decreto publicado no Diário Oficial da União. O governador Luiz Fernando Pezão havia solicitado o emprego das Forças Armadas até o dia 5 de março, mas a operação inicialmente vai durar até 22 de fevereiro. Segundo o ministro, o prazo é padrão, e a continuidade da operação após esse período será reavaliada.

Espírito Santo

Já a atuação da Força Nacional no Espírito Santo atende a pedido do governador em exercício, Cesar Colnago, para conter a crise na segurança pública no estado, desencadeada pela paralisação de policiais militares. Os agentes farão o policiamento ostensivo na região por 20 dias (até o dia 4 de março), podendo ser prorrogado este prazo.

Fonte: Agência Brasil
Publicado em 15 de fevereiro de 2017