Professoras e professores da UFJF e do IF Sudeste MG
Assembleia aprova paralisação no dia 24 de maio em protesto contra a retirada de direitos

Professoras e professores da UFJF e do IF Sudeste MG, reunidos em assembleia, na manhã de quinta feira, 18 de maio, decidiram paralisar suas atividades no dia 24 de maio, em protesto contra as reformas da previdência e trabalhista.

Ficou decidido também o apoio às manifestações denominadas “Ocupe Brasília” com o envio de representantes à capital federal para participação nos protestos que estão marcados para esta data.

Os docentes entenderam que as representações da APES, tanto no Fórum Sindical e Popular, quanto nas instâncias do ANDES-SN, devem lutar pela realização de nova greve geral já, como necessidade urgente para a vitória contra os ataques aos direitos. Também devem pautar nestes espaços o chamado ao desenvolvimento do debate sobre a luta para enfrentar um novo golpe dentro do golpe que é a realização de eleições indiretas, e para tanto considerar as alternativas de eleições diretas já, antecipação das eleições de 2018, novas regras, dentre outros elementos que concorrem para este debate.

A assembleia debateu também a Comissão de Saúde da APES que sofreu modificações em sua composição. Foi retirada a necessidade de um membro docente/médico como efetivo e manteve-se o número de seis integrantes, com mandado de dois anos com possibilidade de reeleição, cujo período coincide com o mandato da diretoria eleita. O nome do Professor Agostinho Beghelli Filho foi aprovado pelos docentes para compor a comissão, que deve definir um calendário de reuniões e Assembleia Geral para tratar da sinistralidade.

Sobre o problema da redução salarial dos docentes aposentados, a professora Marina Barbosa explicou a situação à assembleia e informou os procedimentos adotados, em que mais de 100 professores e professoras, sindicalizados e não sindicalizados, estão recebendo assistência jurídica. A APES vai lutar na justiça contra a imposição do ressarcimento de valores e pelos direitos deste segmento da categoria. Na sexta feira, a APES se reúne, na parte da tarde, na sede da APES, com todos os afetados pela medida.

A assembleia aprovou ajuda financeira aos docentes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Universidade Estadual do Norte Fluminense e Universidade Estadual da Zona Oeste, além de uma moção de apoio aos professores dessas instituições que sofrem com atrasos em seus salário

Fonte: APESJF
Publicado em 23 de maio de 2017

Festival reúne quitandas mineiras e sertanejo de raiz


A mesa já está posta, o forno ligado e o cafezinho coado. Vai ter pão de queijo, broa de milho, rosca de trança e até pão de torresmo. Os congonhenses estão preparados e os visitantes a caminho: está chegando mais um Festival da Quitanda.

Mais de 20 mil pessoas são esperadas na 17º edição do Festival da Quitanda de Congonhas, que acontece no domingo 21 de maio na Romaria.

O evento, promovido pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Cultura, tem o patrocínio da CSN Mineração e conta com o apoio da FUMCULT, Emater, do Conselho Municipal de Cultura, do Mercado Central e promoção da Radio Educativa FM.

Além do Festival, na véspera do evento, sábado, dia 20, será realizada a Noite de Caldos e Violas.

Neste dia serão comercializados caldos variados, que, juntamente com Gabriel Sater e a dupla Mayck e Lyan – representantes do melhor da música sertaneja de raiz, vão ajudar a espantar o frio característico das noites de maio em Congonhas.

Durante o Festival, um cenário feito especialmente para o evento, transforma a Romaria e traz lembranças que remetem à vida no campo e aos antigos armazéns.

Neste clima, 48 stands comandados por quitandeiras de Congonhas e de outras 18 cidades da região comercializarão variadas quitandas tradicionais da culinária mineira. As grandes estrelas da festa são o chá de congonha e o cubu que são oferecidos gratuitamente aos visitantes durante o evento. Artesãos de Congonhas também terão um espaço reservado para expor e vender seus trabalhos.

Outro destaque são as atrações musicais que farão a trilha sonora do festival. Haverá apresentação de grupos de Congado, da Corporação Musical Senhor Bom Jesus, Mayara Rodrigues, Grupo Viola Inviolada, Miltinho Edilberto e banda e Cleiber Tarcísio.

Com informações da Secom-PMC
Publicado em 18 de maio de 2017
Service Divulgação

Conta de luz deve continuar com bandeira vermelha até novembro

A bandeira tarifária vermelha de patamar 1 deve continuar a elevar o preço das contas de luz até o fim do período seco, em novembro, quando o volume de chuvas deve aumentar e elevar o nível dos reservatórios de hidrelétricas brasileiras. A previsão é do diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Barata.

A bandeira tarifária vermelha é acionada quando é preciso ligar usinas termelétricas, que produzem energia com custo maior que as hidrelétricas.

“As nossas avaliações são de que, ao longo do período seco, o preço vai subir, porque cada vez mais vamos precisar das usinas térmicas. Se o lado benéfico delas é o fato de serem presumíveis e gerenciáveis e termos o controle dos combustíveis, o outro lado é serem mais caras”, disse Barata.

Segundo o diretor do ONS, em novembro, os reservatórios do Sudeste estarão com 20% da capacidade, e os do Nordeste, possivelmente abaixo dos 10%.
Quando a bandeira vermelha patamar 1 está em vigor, os consumidores pagam R$ 3 a mais para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Em 2017, a bandeira patamar 1 está em vigor desde abril.

Campanha de conscientização

Barata informou que o governo pretende fazer uma campanha para estimular o uso de energia elétrica sem desperdícios. No entanto, segundo ele, não há previsão de racionamento.

“Não há risco de desabastecimento, mas existe quase uma certeza de encarecimento de energia, que às vezes só aparece no ano que vem, quando houver o reajuste tarifário.”

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, disse que a proposta da campanha já foi discutida em reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico e que a medida deve ser lançada no segundo semestre.

Fonte: Agência Brasil
Publicado em 17 de maio de 2017

Ministério terá programa para municípios investirem em mobilidade e saneamento



Os ministros das Cidades, Bruno Araújo, e do Desenvolvimento Agrário, Osmar Terra – (José Cruz/Agência Brasil)

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, anunciou nesta terça-feira (16) o Programa Avançar Cidades, que vai emprestar recursos federais aos municípios para investimento em obras de mobilidade e saneamento básico. Ao participar da 20ª Marcha Nacional dos Municípios, ele disse que cerca de R$ 6 bilhões serão disponibilizados às prefeituras para o financiamento de ações como pavimentação e calçamento de vias, abastecimento de água e construção de ciclovias.

De acordo com o ministro, os créditos serão disponibilizados a juros de 6% ao ano, tendo quatro anos de carência e, a partir desse prazo, 20 anos de financiamento. Os recursos são do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e não há critérios específicos para a candidatura das cidades, que poderão ser de menor porte até as metrópoles. Há um limite de R$ 200 milhões por município que conseguir acesso ao empréstimo.

O chamado Avançar Cidades Saneamento terá R$ 2,2 bilhões disponíveis e o Avançar Cidades Mobilidade, R$ 3,7 bilhões. “Só para não haver expectativa frustrada no passado, em que todos procuravam a Caixa Econômica Federal, sabemos como é burocracia, [em que os municípios] superavam meses de dificuldade para depois fazer a seleção, nós invertemos essa pirâmide. Primeiro vamos fazer o processo de seleção, autorizar os municípios. A partir daí, eles seguem para a Caixa”, disse aos prefeitos.

Após o anúncio, Bruno Araújo foi perguntado pelos representantes da Confederação Nacional dos Municípios se seria apenas um empréstimo ou repasse de valores a fundo perdido, sem retorno para a União, ao que ele confirmou que será um empréstimo.

Fonte: Agência Brasil
Publicado em 16 de maio de 2017

PJF realiza abertura da 8ª Semana Paralímpica

Na tarde desta segunda-feira, 15, o Ginásio da Secretaria de Esportes e Lazer (SEL), da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), foi palco de verdadeira confraternização esportiva, através da abertura oficial da 8ª Semana Paralímpica de Juiz de Fora. O evento contou com a presença de autoridades municipais, representantes da PJF e atletas paralímpicos inscritos na competição.

A Semana Paralímpica acontece duas vezes por ano. É promovida pela PJF, através do Departamento de Lazer e Exercício Físico (Dlef) da SEL e coordenado pela Supervisão de Esporte Adaptado (Sead). “É obrigação da Secretaria de Esporte e Lazer promover eventos como esse, que criam integração e levam atividades às pessoas com deficiência, fomentando o esporte para a população como um todo”, anunciou Julio Gasparette, secretário de Esporte e Lazer.

De acordo com Karla Belgo, supervisora de Esporte Adaptado, o objetivo do evento é “motivar a apresentação das habilidades e do potencial esportivo da pessoa com deficiência, além de ser ferramenta de inclusão social”.

Esse ano foram inscritos 222 participantes, incluindo 12 instituições e as avulsas. Serão cinco dias de atividades, envolvendo pessoas com deficiência auditiva, física, intelectual, visual ou múltipla, residentes em Juiz de Fora e em outras localidades, além de alunos/atletas de programas da SEL, de entidades ou de escolas públicas e particulares, que participarão das seguintes modalidades: atletismo, bocha, futsal paralímpico, goalball, natação e polybat.

Durante o evento, o paratleta Leonardo Miquéias da Silva, inscrito nas modalidades natação e futebol paralímpico, prestou juramento, representando os demais participantes, reforçando o compromisso dos inscritos na competição.

Confira toda a programação da competição no anexo. Outras informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone 3690-7853.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Secretaria de Esporte e Lazer – PJF.
Publicado em 15 de maio de 2017
Service Divulgação