Em Ubá – PCMG prende suspeitos de homicídio e em Guarani – PCMG cumpre mandados de busca e apreensão

Na quarta-feira (21), a Polícia Civil de Minas Gerais efetuou a prisão de dois homens, de 24 e 30 anos, suspeitos de matar a vítima Mathaus Lucas da Silva, no dia 20 de julho do ano passado. Na ocasião, o corpo foi encontrado no Bairro Residencial Rosa de Toledo, próximo ao Fórum de Ubá.

Segundo informações do titular da Delegacia Antidrogas e Homicídios de Ubá, delegado Alexandrino Rosa de Souza, o suspeito mais jovem quem arquitetou a morte da vítima com o intuito de realizar uma ‘queima de arquivo’. De acordo com a autoridade policial, o suspeito, juntamente com Mathaus e outro homem, teria assassinado Osorio Eloy Matos no dia 12 de maio de 2014. As investigações culminaram na prisão do trio.

Posteriormente, Mathaus passou a receber pagamentos para que assumisse singularmente a autoria do crime. Após a obtenção da liberdade no processo, ele também passou a fazer exigências para obter uma motocicleta. “Mathaus, então, ameaçou delatar os demais envolvidos na morte de Osório”, informou o delegado, complementando que ele acabou sendo assassinado ao ser atraído para um local ermo, com a promessa de que receberia a motocicleta.

Ainda conforme o delegado, após a ação, os suspeitos foram conduzidos à Delegacia Regional de Polícia Civil de Ubá e, após prestarem depoimento, foram encaminhados ao Presídio de Ubá.

Em Guarani: PCMG cumpre mandados de busca e apreensão

Na quarta-feira (21), a Polícia Civil deu cumprimento, em Guarani, a mandados de busca e apreensão na residência de um jovem de 22 anos, no Bairro Progresso, que culminou na localização de um tablete de maconha e de roupas camufladas, além da prisão do suspeito por tráfico.

A equipe de policiais civis de Rio Pomba e de Tocantins também prendeu outros dois homens, de 19 e 20 anos, por crime ambiental e apreendeu um adolescente, bem como dois pássaros da fauna silvestre sem registro e três munições de espingarda cal. 20.

Em continuidade à diligência, foi realizada busca na casa de outro investigado que resultou na apreensão de balança de precisão, vários saquinhos destinados ao preparo de drogas, um invólucro contendo resquícios de crack, além de um pássaro da fauna silvestre sem registro.

Com informações da Assessoria de Comunicação – PCMG
Publicado em 22 de junho de 2017

FMI aponta corrupção e evasão fiscal como grandes desafios da economia

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, disse hoje (22), em Valência, na Espanha, que a corrupção, evasão fiscal, financiamento do terrorismo e a exclusão financeira são os grandes desafios da economia global.

Em um discurso inaugural diante do plenário do Grupo de Ação Financeira contra lavagem de dinheiro, ela pediu para “intensificar a luta contra a corrupção e evasão fiscal”. Na sua opinião, o efeito dominó que provoca a falta de pagamento de impostos é um fator importante para um “descontentamento popular e instabilidade econômica”.

A evasão fiscal, lembrou, faz com que “aumente a dívida pública e diminua o investimento em educação, saúde e outros serviços públicos. Significa mais desigualdade, já que os mais vulneráveis são os mais afetados pela forte queda das despesas sociais”.

Christine Lagarde anunciou que o FMI publicará um relatório sobre o impacto da corrupção no crescimento econômico e elogiou o trabalho do Grupo de Ação Financeira, presidido pelo espanhol Juan Manuel Vega-Serrano, a favor da transparência.

Sociedades opacas

Neste sentido, lembrou Lagarde, revelações como Panama Papers, sobre o complexo sistema de sociedades opacas para ocultar capitais, demonstram a importância de apoiar este trabalho.

A diretora do FMI também fez apelou para “afogar os fluxos financeiros” que alimentam o terrorismo no mundo e pediu um maior trabalho de capacitação e o entendimento de novas tecnologias financeiras, como as moedas virtuais.

Neste sentido, lembrou que o chamado fintech (nova tecnologia financeira) é uma “faca de dois gumes”, que pode ser utilizada por redes terroristas, mas também pode ajudar na linha de defesa contra elas.

Outro ponto destacado por Lagarde foi a necessidade de evitar a exclusão de pessoas em países em desenvolvimento do sistema bancário, pedindo melhores estruturas reguladoras.

Fonte: Agência Brasil
Publicado em 22 de junho de 2017

Após depoimento de oito horas, Joesley deixa a sede da PF

O depoimento começou às 9h30 e terminou pouco depois das 17h. De acordo com as investigações da Operação Bullish, o BNDES teria favorecido o grupo JBS em um esquema que envolveu cerca de R$ 8,1 bilhões.

O dono do grupo JBS, Joesley Batista, deixou no fim da tarde desta quarta-feira (21) a sede da Polícia Federal em Brasília após um depoimento que durou quase oito horas. Ele depôs aos delegados da Operação Bullish, que investiga irregularidades em aportes ao grupo concedidos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Investigadores da Operação Greenfiel também participaram do depoimento, caso o empresário comentasse também as fraudes envolvendo fundos de pensão.

O depoimento começou às 9h30 e terminou pouco depois das 17h. De acordo com as investigações da Operação Bullish, o BNDES teria favorecido o grupo JBS, que atua no ramo de processamento de proteínas, em um esquema que envolveu – considerando todas as operações realizadas – cerca de R$ 8,1 bilhões. Os aportes ocorreram entre 2007 e 2011. Joesley não prestou depoimento quando a operação foi deflagrada, em 12 de maio, porque estava fora do país.

Hoje, a Advocacia-Geral da União (AGU) solicitou ao Tribunal de Contas da União (TCU) o bloqueio imediato dos bens da JBS e de seus responsáveis. Segundo a petição, o objetivo é garantir um possível ressarcimento aos cofres público de práticas ilícitas efetuadas pela empresa da ordem de R$ 850 milhões. A razão do pedido foi a manifestação nesta terça-feira (20) do secretário de Controle Externo do TCU no estado Rio do Janeiro, Carlos Borges Teixeira, durante uma audiência pública na Câmara dos Deputados, em que ele falou sobre indícios de prejuízo em operações do BNDES com a empresa. “Há notícias que dão conta de que a referida empresa estaria em avançado processo de desfazimento de bens no país”, escreveu a AGU.

A assessoria de imprensa da JBS disse que não irá se manifestar sobre o pedido da AGU, mas voltou a defender a delação premiada de Joesley e de outros seis executivos do grupo, cuja validade está sendo discutida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). “A despeito do grande número de informações e provas já entregues, os colaboradores continuam disponíveis para cooperar com a Justiça e, conforme acordo firmado com a Justiça, estão sendo identificadas informações e documentos adicionais como complementos às investigações e que serão entregues no prazo de até 120 dias”, afirmou a JBS, por meio de nota.

Seguranças

Durante a oitiva de Joesley Batista, funcionários da PF notaram a presença de duas pessoas no prédio que foram identificadas como seguranças particulares do empresário. Como estavam armados e, por procedimentos de segurança, eles também foram ouvidos pelos policiais federais e revelaram que são policiais civis do estado de São Paulo. Por esse motivo, foi instaurada uma medida administrativa sobre a qual também foi ouvido o empresário e que pode resultar em multa a ele, como contratante dos serviços particulares dos policiais.

Fonte: Agência Brasil
Publicado em 21 de junho de 2017

Censo mostra que 11% dos alunos do ensino médio deixaram a escola em 2014 e 2015

A evasão escolar no ensino médio chegou a 11% do total de alunos no período de 2014 a 2015. Segundo dados inéditos do Censo Escolar, divulgados hoje (20), na 1ª série do ensino médio 12,7% dos alunos deixaram a escola no período e na 2ª série a evasão foi de 12,1%.

O 9º ano do ensino fundamental teve 7,7% de evasão e na 3ª série do ensino médio a taxa foi de 6,7%. A evasão é maior nas escolas rurais, em todas as etapas de ensino. O Pará tem a mais alta taxa de evasão em todas as etapas de ensino, chegando a 16% no ensino médio.

Os indicadores de fluxo escolar na educação básica foram divulgados, pela primeira vez pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e pelo Ministério da Educação. O censo apontou também que a migração para a Educação de Jovens e Adultos é mais expressiva ao final do ensino fundamental, quando chega a 3,2% e 3,1%, no 7º e 8º ano, respectivamente.

Em relação à rede de ensino, a migração é maior na rede municipal nos anos finais do ensino fundamental, quando alcança uma taxa de 3,8%. Já no ensino médio, a migração é mais expressiva na rede estadual de ensino, com 2,2%.

Fonte Agência Brasil
Publicado em 21 de junho de 2017

Operação conjunta é deflagrada em Muriaé e em Carangola

Na manhã desta terça-feira (20), a Polícia Civil de Minas Gerais, em ação conjunta com a Polícia Militar, deflagrou operação em Muriaé e em Carangola, após apurações do assalto ao posto de gasolina, ocorrido no início de junho, em Pedra Dourada. Na ocasião, minutos depois do crime, os policiais conseguiram apreender a motocicleta, os capacetes e as blusas que teriam sido utilizadas pelos autores.

De acordo com informações do delegado Diêgo Candian Alves, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão temporária, expedidos pelo juízo da Comarca de Tombos. Um homem de 23 anos foi preso em Carangola e outro jovem de 22 anos foi localizado em Muriaé. Durante as diligências, também foram apreendidos um casaco, uma faca e uma balança de precisão em Carangola. Já em Muriaé, foram arrecadados aparelhos celulares e algumas roupas.

Com informações da Assessoria de Comunicação – PCMG
Publicado em 20 de junho de 2017